Matéria do Fantástico sobre homicídios confirma que João Pessoa está entre as cidades mais violentas do mundo

A matéria do Fantástico da Rede Globo do último domingo (29) sobre o número de homicídios em cidades da área metropolitana de Brasília cujos índices as colocam entre as cidades mais violentas do mundo apresenta uma omissão: a capital da Paraíba, João Pessoa.

Segundo a matéria, que repercutiu entre autoridades em segurança pública, Gama, a mais violenta delas, apresenta um registro de 100 homicídios nos dois primeiros meses do ano, o que a faria perder essa condição se comparada a João Pessoa cujos índices alarmantes apontam para algo em torno de 150 assassinatos mês, desde janeiro até maio, o que elevaria para mais de 750 vítimas de extermíni este ano, inserindo João Pessoa definitivamente entre as cidades mais violentas do mundo.

Esse desempenho da capital paraibana no ranking da violência não incomoda o governador Ricardo Coutinho já que nenhuma providência teria sido tomada, nesses cinco meses de gestão, para conter essa onda de violência que transforma a outrora pacata cidade de João Pessoa numa área de conflito de guerra urbana.

Para se ter uma idéia da violência que se alastrou na capital depois da posse de Ricardo Coutinho basta conferir os números de homicídios neste final de semana: 15 pessoas mortas a tiros no meio da rua, sem contar os registros dessa madrugada de segunda-feira.

Os dados sobre a média de 5,2 homicídios por dia na capítal e região metropolitana são da Secretaria de Segurança Pública e do conhecimento do secretário Claudio Lima, que prefere omití-los quando questionado sobre violência. De certa forma, pela omissão, o Governo de Ricardo Coutinho vem compactuando com os grupos de extermínio e liberando o exercício da pistolagem no Estado.

Essa violência, que coloca João Pessoa, segundo os dados do Fantástico, entre as cidades mais violentas do mundo, não causa nenhuma preocupação ao Governo de Ricardo Coutinho, que se limita a atribuir as mortes ao consumo de crack, outro ranking em que a capital paraibana se destaca como o maior centro consumidor da droga.

Nem mesmo o atuante e anteriormente vigilante deputado Padre Luiz Couto preocupou-se mais em combater os grupos de extermínio. Em sua última declaração, ele faz uma revelação estarrecedora ao atribuir ao Governo de Maranhão a iniciativa de obstruir as investigações sobre os grupos de extermínio.

Passados cinco meses da mudança de Governo, tudo indica, as investigações continuam obstruídas e o número de homicídios pulou de forma surpreendente, mas que parece não incomodar mais o petista.

Jampa News

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Em respeito à Justiça Eleitoral, o DiamanteOnline suspende temporariamente a publicação de comentários neste espaço para evitar eventuais casos e interpretações de propaganda eleitoral antecipada.

Agradecemos aos leitores pela compreensão.