Rússia promete derrubar mísseis dos EUA na Síria e Trump ameaça atacar

Países ocidentais, liderados pelos Estados Unidos, ameaçam responder fortemente, contra o regime de Assad, ainda que os responsáveis não tenham sido confirmados.

Nesta quarta-feira (11), a Rússia alertou que vai derrubar qualquer míssil dos Estados Unidos lançado contra a Síria, devido a um suposto ataque químico no sábado na cidade de Douma, último reduto rebelde da região de Ghouta Oriental, subúrbio de Damasco, onde o regime do presidente Bashar al-Assad vinha implementando uma ofensiva para reconquistar o território.

Após a ameaça russa, o presidente americano disse no Twitter para os russos se prepararem para ataques.

A Rússia promete derrubar qualquer míssil lançado contra a Síria. Prepare-se, Rússia, pois eles estarão vindo, bons e novos e inteligentes. Você não deveria ser parceira de um Animal Matador com Gás (tóxico) que mata seu povo e gosta!, ameaçou Trump, em referência ao presidente sírio Bashar al-Assad, acusado de ser o responsável pelo suposto ataque em Douma.

Países ocidentais, liderados pelos Estados Unidos, ameaçam responder fortemente, incluindo com opções militares, contra o regime de Assad, ainda que os responsáveis não tenham sido confirmados. O governo sírio, assim como a Rússia, negam a execução de um ataque químico.

Alexander Zasypkin, embaixador russo no Líbano, informou que os locais de lançamento dos projéteis americanos também serão atacados, levantando a possibilidade de um confronto entre Moscou e Washington. Emitindo o alerta na noite de terça-feira, Zasypkin também disse que tal confronto deveria ser evitado e que Moscou está pronto para negociações. Entretanto, seus comentários podem elevar temores do primeiro conflito direto entre duas grandes potências que apoiam lados opostos na prolongada guerra civil da Síria.

Se houver um ataque pelos americanos, então (...) os mísseis serão derrubados e até mesmo as fontes de onde saíram os mísseis, disse ele à emissora do Hezbollah, al-Manar TV.

O governo russo, também advertiu contra qualquer ação na Síria que possa desestabilizar a já frágil situação da região, após ameaças ocidentais de bombardear pontos estratégicos sírios em reação a um suposto ataque químico.

Como antes, esperamos que todas as partes evitem qualquer ação que em caso algum seria justificada e que pudesse desestabilizar a já frágil situação da região, declarou à imprensa o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, que caracterizou o contexto atual como muito tens.

O governo da Rússia é favorável a uma investigação objetiva e imparcial antes de emitir qualquer julgamento.

Fonte G1 PB

Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Diamante Online, não reflete a opinião deste Portal.