Supremo afasta ministro do Trabalho em investigação que envolve Wilson Filho

Ministério do Trabalho foram preenchidos com indivíduos comprometidos com os interesses do grupo criminoso, permitindo a manutenção das ações ilícitas praticadas na pasta, diz nota da PF.

A terceira fase da Operação Registro Espúrio determinou o afastamento do ministro do Trabalho, Helton Yomura, na manhã desta quinta-feira, 5. O pedido foi feito pela Polícia Federal e pela Procuradoria-Geral da República e aceito pelo ministro Edson Fachin, relator do caso no Supremo Tribunal Federal. A PF também cumpre mandados de busca e apreensão contra Yomura e no gabinete do deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP). Na primeira fase, o gabinete de três parlamentares – Paulinho da Força (SD-SP), Jovair Arantes (PTB-GO) e Wilson Filho (PTB-PB) – foram alvo de busca e apreensão.

No total, estão sendo cumpridos dez mandados de busca e apreensão e três de prisão temporária, expedidos pelo Supremo, em Brasília e no Rio. Os presos são o chefe de gabinete do ministro, Julio de Souza Bernardes, o superintendente da pasta no Rio, Adriano José Lima, e Jonas Antunes de Lima, assessor de Marquezelli.

As investigações e o material coletado nas primeiras fases da Registro Espúrio indicam a participação de novos atores e apontam que importantes cargos da estrutura do Ministério do Trabalho foram preenchidos com indivíduos comprometidos com os interesses do grupo criminoso, permitindo a manutenção das ações ilícitas praticadas na pasta, diz nota da PF.

Fonte ThiagoMoraes

Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Diamante Online, não reflete a opinião deste Portal.