Homicídios na Paraíba somam 1.172 em 2017, 30 a menos que em 2016

Com relação aos armamentos, 3.182 unidades de revólveres, pistolas e espingardas, entre outros, foram apreendidas em ações de segurança pública.

O relatório do Núcleo de Análise Criminal e Estatística (Nace) da Secretaria da Segurança e da Defesa Social (Sesds), aponta que neste ano, de janeiro a novembro, a Paraíba acumula 2,5% de queda nas ocorrências de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), com 1.172 casos, contra 1.202 no mesmo período de 2016. Em relação aos homicídios por 100 mil habitantes, este ano a Paraíba pode chegar a uma taxa de 31,8. Os dados foram apresentados nesta quinta-feira (21), durante reunião realizada entre o governador Ricardo Coutinho e gestores das Polícias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros, no Palácio da Redenção, em João Pessoa.

Segundo o Nace, 10 das 21 Áreas Integradas de Segurança Pública (Aisp) apresentam redução na ocorrência de assassinatos. A 1ª Aisp tem 25 CVLI a menos na Zona Norte de João Pessoa. A mesma redução foi verificada na área de Esperança (12ª Aisp). A Zona Sul de João Pessoa (1ª Aisp) tem menos 17 assassinatos. A 5ª Aisp, de Santa Rita, contabilizou menos 12 casos; a 7ª Aisp de Mamanguape teve menos 11 casos; Solânea (3ª Aisp) tem cinco homicídios a menos; a 4ª Aisp de Bayeux menos quatro casos; Itaporanga (17ª Aisp) registrou redução de três casos e a 19ª Aisp de Sousa tem menos um caso.

Os assassinatos de mulheres também diminuíram em território paraibano. Em 2017, de janeiro a novembro, foram 74 casos de CVLI com vítimas do sexo feminino e em 2016, no mesmo período, foram contabilizados 90 casos. Os homicídios de mulheres representam 6% do total de mortes por assassinatos na Paraíba.

Ataques a bancos

Ainda de acordo com os números divulgados, este ano houve uma diminuição de 25% das ocorrências de crimes patrimoniais consumados envolvendo instituições bancárias e agências dos Correios em território paraibano. Em 2017, de janeiro a novembro, o Nace contabilizou 79 casos, enquanto que no mesmo período do ano passado aconteceram 106 ocorrências desse tipo. Houve 15% de redução em relação aos furtos com explosão (75 contra 64 casos); e 64% em relação a furtos com arrombamento (28 contra 10 casos). No que se refere aos roubos, foram cinco casos em 2017, em 11 meses.

Apreensão de armas e drogas

Com relação aos armamentos, 3.182 unidades de revólveres, pistolas e espingardas, entre outros, foram apreendidas em ações de segurança pública. O total de entorpecentes apreendidos foi de 1.957,6 kg de janeiro a novembro de 2017. No mesmo período, em 2016, foram apreendidos 949,61 kg. Houve aumento em todos os tipos de drogas apreendidas: 56% de cocaína (25,61 para 40,1 kg); 68% de crack (50,9 para 85,7 kg); e 110% de maconha (873,1 para 1.831,8 kg).

Fonte portal do litoral pb

Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Diamante Online, não reflete a opinião deste Portal.