Diamante On-Line

Paraíba

Queimadas em canaviais deixam mais de 400.000 mil pessoas sem luz na Paraíba

Santa Rita, Sapé, Rio Tinto, Mamanguape, Sousa, Cajazeiras e Coremas estão entre as cidades mais afetadas.

A prática de queimadas nas regiões rurais da Paraíba, além dos danos ambientais, também vem afetando a rede elétrica, causando prejuízos e oferecendo risco aos moradores. O alerta é da gerente de Construção e Manutenção da Energisa, Danielly Formiga. Segundo ela, a empresa vem atendendo a casos de emergências por conta dessa situação diariamente.

“É muito comum que as pessoas façam queimadas nos canaviais e no campo sem se preocuparem com a rede elétrica. O fogo muitas vezes acaba atingindo nossas redes e ocasionando curtos-circuitos. O risco é enorme para quem faz isso. Esta prática, além dos danos ambientais, provoca também a interrupção do fornecimento de energia, deixando muitas vezes cidades inteiras sem luz, e a concessionária só pode restabelecer a energia após o fim do incêndio. Vamos evitar e tomar todas as precauções.”, alerta Danielly.

O problema atinge, sobretudo, os canaviais, incluindo cidades como Santa Rita, Sapé, Rio Tinto, Mamanguape, Mataraca, Jacaraú, Cruz do Espírito Santo, Caaporã e Mata Redonda, e tem se intensificado nesse mês de setembro/21. No sertão da Paraíba, estas ocorrências, oriundas de queimadas na vegetação, têm sido registradas nas proximidades das cidades de Sousa, Cajazeiras e Coremas, principalmente. Somente este ano de 2021, já foram registradas cerca de 30 ocorrências de queimadas que geraram interrupções no fornecimento de energia elétrica a quase 11.000 clientes. Em 2020, foram registradas mais de 80 ocorrências, as quais afetaram mais de 400.000 clientes.

Além do desconforto causado pela falta de energia em residências, escolas, lojas comerciais, hospitais e bancos, a falta de luz também afeta a linha de produção das indústrias de grande porte e podem causar queima de equipamentos. As linhas de transmissão e distribuição também são afetadas com a redução da vida útil dos componentes. A prática também pode colocar em risco a vida das pessoas. “O fogo pode passar por baixo da fiação, provocando curtos-circuitos e oferecendo risco para as pessoas que estão fazendo a queimada e para quem possivelmente estiver nas proximidades”, afirma Danielly Formiga.

A gerente reforça que as pessoas devem tomar medidas preventivas para evitar atingir a rede elétrica. “Uma dica é que se façam aceiros (barreiras para evitar que o fogo se alastre) protegendo toda a faixa de servidão da rede elétrica, evitando que o fogo atinja postes e cabos, acarretando nas interrupções de energia”, comenta.

Confira outras medidas de segurança:

– Não fazer queimadas irregulares para limpar pastagem ou plantio agrícola;

– Apagar as pontas de cigarro antes de jogá-las em lixeiras. Não jogar cigarros ou fósforos à beira de estradas ou perto de campos e florestas;

– Manter terrenos limpos, fazer aceiros ao redor de casas, currais, celeiros e outras construções e mantê-los roçados;

– Não deixar restos de cortes de árvores, plantações ou pastagens acumuladas na beira da estrada para que não sejam incendiados;

– Não queimar o lixo doméstico;

– Não acender fogueiras perto da vegetação;

– Não soltar balões;

– No caso de sinal de fumaça ou foco de incêndio, avisar imediatamente aos bombeiros (193). Caso o fogo esteja próximo à rede elétrica, ligar imediatamente para a Energisa (0800 083 0196)

Página:

https://www.diamanteonline.com.br/noticia/paraba/2021/09/20/queimadas-em-canaviais-deixam-mais-de-400000-mil-pessoas-sem-luz-na-paraba/29062.html