Brasil perde para Argentina e fica de fora dos Jogos Olímpicos de Paris

Brasil é o atual bicampeão olímpico, e não ficava de fora dos jogos desde Atenas 2004.

A seleção brasileira sub-23 perdeu para a Argentina por 1 a 0 e não conseguiu a vaga para os Jogos Olímpicos de Paris-2024.

É a primeira vez desde Atenas 2004 que o Brasil não estará no torneio olímpico de futebol masculino.

Assim, o Brasil fica sem a chance de conquistar o terceiro ouro olímpico em sequência.

A perda da vaga é o resultado de uma campanha no Pré-Olímpico da Venezuela em que a seleção treinada por Ramon Menezes jogou muito mal. O Brasil sofreu com cortes, falta de liberação de jogadores, lesões, mas não mostrou um padrão tático.

O Brasil cambaleou no quadrangular final — perdeu para o Paraguai, ganhou suado da Venezuela — e até poderia alcançar a vaga se pelo menos empatasse com os argentinos. Não conseguiu. Terminou a campanha com três pontos.

A vitória sobre o Brasil classificou a Argentina, que termina o quadrangular com cinco pontos. A segunda vaga depende do resultado de Paraguai x Venezuela.

Um susto no primeiro tempo. E só

A ausência de John Kennedy no time titular foi uma perda ofensiva, mas deixou o time mais equilibrado na marcação. O lado ruim disso foi o sumiço de chances de gol para o Brasil no primeiro tempo. Só um chute de Alexsander de fora da área assustou os hermanos.

Endrick ficou muito isolado na frente e ainda teve que lidar com chegadas duras dos defensores argentinos. A Argentina foi quem chegou mais perto do gol. Uma cobrança de falta de Thiago Almada explodiu na trave. Um susto.

Mas no geral, o Brasil até que conseguiu controlar relativamente as ações com esse bloqueio defensivo, até porque a Argentina não foi brilhante em termos de criatividade.

Brasil melhora com JK, por pouco tempo

A seleção deu melhor resposta ofensiva quando Ramon colocou John Kennedy em campo. O atacante tricolor substituiu Biro, mas ficou numa faixa mais centralizada na comparação com a partida com a Venezuela. Com poucos minutos em ação, vieram as duas chances principais.

Na primeira, JK abriu caminho na defesa e Pec perdeu uma chance claríssima, pouco depois da marca do pênalti. O chute rasteiro e meio fraco foi defendido por Brey. Depois, a próxima explosão de JK na área resultou em finalização perigosa.

Quando o efeito da entrada de John Kennedy passou e o jogo se assentou, Ramon tirou Endrick. Apostou em um Marquinhos mais descansado.

Gol e eliminação

Depois de levar o gol, o Brasil tentou no desespero alguma coisa. Mas a inspiração não veio. Assim como aconteceu ao longo de todo o campeonato.

Brasil 0 x 1 Argentina

Local: Estádio Brigido Iriarte (Libertador, Venezuela)
Data/Hora: 11/2/2024, às 17h30 (de Brasília)
Árbitro: Cristian Garay (CHI)
Assistentes: Miguel Rocha e Juan Serrano (CHI)
VAR: Leodan González (URU)
Cartões amarelos: Rikelme, Endrick, Bruno Gomes (BRA); Santiago Castro, Barco (ARG)
Gols: Gondou, 33/2ºT (0-1)

Brasil: Mycael, Khellven, Arthur Chaves, Lucas Fasson e Rikelme (Giovane); Andrey, Alexsander, Gabriel Pirani (Bruno Gomes), Mauricio (Gabriel Pec) e Biro (John Kennedy); Endrick (Marquinhos). Técnico: Ramon Menezes.

Argentina: Leandro Brey, Gonzalo Luján, Marco Di Césare (Garcia), Nicolás Valentini e Valentín Barco; Juan Sforza, Ezequiel Fernández, Cristian Medina (Echeverri), Thiago Almada e Santiago Castro (Solari); Luciano Gondou. Técnico: Javier Mascherano.

Uol

Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Diamante Online, não reflete a opinião deste Portal.