Quase 78% dos adolescentes na PB ainda não tomaram a vacina contra HPV

Na Paraíba, a meta é vacinar 80% dos 350.880 adolescentes. Mas, até agora, somente foram vacinados 62.322 deles, ou seja, 77,8%.

Quase 78% dos adolescentes na Paraíba ainda não tomaram a vacina contra o HPV. É o que mostra o levantamento do ClickPB junto à Secretaria de Estado da Saúde. No estado, a meta é vacinar 80% dos 350.880 adolescentes. Mas, até agora, somente foram vacinados 62.322 deles, ou seja, 77,8%.

O público-alvo são meninas dos 9 aos 14 anos e meninos dos 11 aos 14 anos. Em setembro, há intensificação com campanhas de acordo com o Calendário Nacional de Vacinação. O HPV é um vírus que pode causar vários cânceres, entre eles, o de colo de útero.

A recomendação para os jovens é de que procurem os postos de saúde de suas cidades, com o cartão de vacina. Não é necessário acompanhamento dos pais.

A assessoria da Secretaria de Estado da Saúde disse ao ClickPB que não tem informações dos possíveis casos confirmados de HPV, pois não há notificação obrigatória deles.

Vacina disponível sempre

É bom deixar claro que não se trata de campanha de vacinação e sim publicitária. A vacina está disponível, durante todo o ano, nas unidades de saúde. O objetivo da intensificação é abranger o maior número de adolescentes num intervalo curto de tempo, melhorando a cobertura vacinal, informou a chefe do Núcleo de Imunização, da Secretaria de Estado da Saúde, Isiane Queiroga.

Meninos também precisam

A vacina contra o HPV foi introduzida no Calendário Nacional de Vacinação, de forma gradual, tendo, em 2014, como alvo as meninas de 11 a 13 anos de idade. Em 2015, foram incluídas as meninas de 9 a 11 anos de idade; em 2016, a vacina estava disponível, para as meninas de 9 a 13 anos de idade e em 2017, para meninas de 9 a 14 anos. Em 2017, foram inseridos os meninos de 11 a 14 anos. A inclusão dos meninos contribuiu para o aumento da proteção em meninas.

Na população feminina, a vacina tem o objetivo de prevenir os cânceres do colo do útero, vulva, vagina e região anal, refletindo na redução da incidência e da mortalidade por esta enfermidade, além da redução da incidência das verrugas genitais. Na população masculina, prevenir os cânceres de pênis, ânus e garganta e contra as verrugas genitais. Além disso, por serem os responsáveis pela transmissão do vírus para suas parceiras, ao receber a vacina estão colaborando com a redução da incidência do câncer de colo de útero e vulva nas mulheres.

Fonte Lucas Isídio

Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Diamante Online, não reflete a opinião deste Portal.