Atritado com filhos de Bolsonaro, Julian Lemos mantém cacife em Brasília

Depois de trocarem farpas pelo WhatsApp, os dois posaram pregando a paz pelo Brasil e pelo êxito do governo Bolsonaro.

O deputado federal eleito pela Paraíba Julian Lemos (PSL), que também é vice-presidente nacional do partido, é reconhecidamente atritado com filhos do presidente eleito Jair Bolsonaro, que também ocupam mandatos parlamentares e exercem ampla influência junto ao pai. Mas Lemos, que se destacou a partir de Campina Grande como empresário bem sucedido no ramo de segurança privada, mantém seu cacife em Brasília e é cortejado na Paraíba como interlocutor de fácil acesso ao futuro presidente. O deputado federal eleito Ruy Carneiro, do PSDB, por exemplo, esteve nos últimos dias no CCBB na Capital Federal, sede do governo de transição, para conversar com Julian Lemos, que é frequentador assíduo do recinto.

A revista Veja, em sua mais recente edição, destaca as divergências enfrentadas por Bolsonaro no seu círculo, a partir do embate do presidente eleito com o vice, o general Hamilton Mourão. Os filhos de Bolsonaro não veriam com bons olhos a desenvoltura de Mourão, que queria coordenar a máquina administrativa mas foi desautorizado pelo presidente. Na semana passada, Mourão aumentou a pressão sobre Flavio Bolsonaro, primogênito de Jair e senador eleito pelo Rio, ao cobrar explicações sobre movimentação financeira milionária realizada pelo ex-motorista conhecido como Queiroz. Já houve desentendimentos, também, entre o deputado eleito por São Paulo, Eduardo Bolsonaro, filho do presidente eleito, e a deputada eleita Joice Hasselmann. Depois de trocarem farpas pelo WhatsApp, os dois posaram pregando a paz pelo Brasil e pelo êxito do governo Bolsonaro. Simbora, minha gente, mudar o Brasil de verdade, legendaram os beligerantes.

O paraibano Julian Lemos entrou no olho do furacão ao irritar o vereador Carlos Bolsonaro, que o acusou de se apresentar indevidamente como coordenador de Jair no Nordeste. Lemos respondeu divulgando um vídeo em que o próprio Jair Bolsonaro se refere a ele como seu coordenador na região. E ainda provocou: Na minha casa o que meu pai falava era respeitado. Carlos Bolsonaro não se deu por vencido e descreveu o rival como papagaio de pirata. Sugerimos parar de aparecer atrás dele por algum motivo, como faz sempre, escreveu. A pessoas próximas, Julian Lemos desabafou que o vereador é doido. Enquanto sobram polêmicas, acrescenta a revista Veja, falta clareza sobre quais as prioridades que serão de fato estabelecidas pelo futuro governo de Bolsonaro.

Fonte Nonato Guedes

Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Diamante Online, não reflete a opinião deste Portal.