Professora dá dicas de como se preparar para a redação do Enem 2020

Conheça também as cinco competências cobradas na prova de redação.

A professora de português Ana Paula Colaço Precisa deu dicas no quadro Lá Vem o Enem 2020 sobre como se preparar para a redação. Segundo ela, é preciso estar atualizado e exercitar bem, fazendo, no mínimo, uma redação por semana para praticar.

Conforme Ana Paula, há duas competências na avaliação da redação que avaliam o repertório do candidato. "A terceira competência, que seleciona e organiza as informações do candidato, precisa que o candidato entenda o tema da banca e contextualize", explica.

Uma dica que a professora dá é buscar informações em sites oficiais, em que o estudante saiba que tem credibilidade. "Sites confiáveis, porque tudo que ele coloca na redação, precisa provar. É preciso dar credibilidade e consistência à ideia, informação", detalha Ana Paula.

Sobre a prática, além de fazer uma redação por semana, no mínimo, é preciso que ela seja corrigida por algum professor, para que o candidato saiba os pontos que precisa melhorar. "Redação é treino, prática", ressalta.

Conheça as cinco competências cobradas na prova de redação
A avaliação da prova de redação do Enem 2020 tem cinco competências que são avaliadas. O professor Erik Anderson e a professora Ana Paulo Carvalho falam sobre cada uma delas.

Competência 1: demonstrar domínio da escrita formal da língua. É nesta competência que o aluno é avaliado em aspectos como a ortografia, a acentuação, a concordância, regência, a propriedade do seu vocabulário. "Ele também é avaliado sobre a escolha do registro, então, nada de escrever as palavras pela metade", ou com abreviaturas e siglas. "A redação deve observar o registro escrito da língua portuguesa, sem marcas de oralidade, sem regionalismo, mas observando a norma culta", explica Erik.

Competência 2: está relacionada ao gênero e ao tema do texto. O gênero dissertativo argumentativo, ou seja, é um texto que não apenas expõe ideias, mas, também, está relacionado à defesa dessas ideias. "Nessa mesma competência, há uma discussão sobre o tema. O tema, normalmente, vem com um recorte. É preciso, portanto, que você esteja atento a este detalhe", explica Ana Paula Carvalho.

Competência 3: segue o esquema quatro por quatro. Quatro verbos, quatro substantivos. "Vamos aos verbos? Competência três: selecionar, relacionar, organizar e interpretar. Informações, opiniões, fatos e argumentos na defesa de um ponto de vista. É desta competência que o aluno vai demonstrar organização, é nesta competência que o aluno vai demonstrar a coerência. Ele não pode entrar em contradição. E, sobretudo, um projeto de texto. Texto planejado, texto coerente, bem articulado com começo ao fim", detalha Erik.

Comnpetência 5: está relacionada à coesão e coerência textuais. "A coesão é a capacidade que o candidato tem de articular as ideias, as palavras, os parágrafos para deixar esse texto como uma unidade de sentido. Enquanto a coerência é a capacidade que o candidato tem de fazer com que suas ideias não entrem em contradição", ressalta Ana Paula Carvalho.

Competência 5: elaborar proposta de intervenção social respeitando os direitos humanos. Nesta competência, o aluno precisa elaborar uma proposta na qual fique claramente marcado quem é o agente, qual a ação, qual o meio, qual o efeito e qual o detalhamento. "Essa proposta deve respeitar os direitos humanos, estar articulada com a ideia do texto e ser praticável. Algo concreto. Nada vago para que o aluno tire uma nota boa na competência número 5", especifica Erik Anderson.

 

Fonte G1.

Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Diamante Online, não reflete a opinião deste Portal.