Ronaldinho completa quatro meses preso sem perspectiva de voltar ao Brasil

Após ser detido com documento irregular, ex-jogador vive em hotel de luxo no Paraguai.

Ídolo do Barcelona, mestre do futebol e reconhecido mundialmente por seus sorrisos, o ex-jogador Ronaldinho Gaúcho marcou uma geração de apaixonados por futebol. Hoje, os torcedores observam R10 com um semblante mais entristecido ao completar quatro meses preso em Assunção, no Paraguai. O craque bate a marca sem ter nenhuma perspectiva de volta para o Brasil.

Em abril deste ano, Ronaldinho e seu irmão Assis chegaram ao país para compromissos e negócios. Segundo as investigações feitas pela Justiça do Paraguai, os agentes do aeroporto teriam identificado irregularidades desde a sua chegada ao local, mas preferiram não abordar o carque devido ao grande número de fãs que foram ao aeroporto.

Precisou explicar a ilegalidade - Poucos dias depois, R10 e seu irmão foram chamados pela Justiça para se explicarem. As investigações indicam que eles poderiam estar envolvidos em um grande esquema ilegal paraguaio de documentos e que, por isso, eles a decisão é que o "bruxo" deveria seguir preso no país para não atrapalhar as investigações.

Camisa 10 do tima da prisão - Ronaldinho, neste meio tempo, mostrou seu talento em peladas na prisão, jogou futevôlei com colegas de prisão, tirou foto com político corrupto e chamou a atenção do mundo pela situação. Depois de ter pedidos recusados, ele foi liberado para seguir em prisão domiciliar no país.

Mais um mês sem resposta - O local escolhido foi um hotel de luxo. Em isolamento por conta da pandemia de coronavírus, que é tratada como assunto "controlado" no Paraguai, e ainda aguardando novas decisões, R10 amanhece com quatro meses de detenção no país sem novidades.

Os torcedores se questionam o que aconteceu realmente com o ex-atleta. Neste meio tempo, o cantor Leonardo pediu que o gaúcho fosse liberado da detenção, Rivaldo lamentou a fase obscura e Maradona pediu a contratação do ex-camisa 10 da seleção. Além disso, a Justiça paraguaia, que paralisou seu trabalho por conta da pandemia, não deve regressar no momento para decidir a situação do craque.

 

Fonte r7.com

Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Diamante Online, não reflete a opinião deste Portal.