Samu de Diamante acusa hospital de rejeitar paciente com suspeita de Covid-19; médico rebate

Durante o transtorno, o paciente ficou deitado na maca, fora da viatura, na porta da unidade.

Uma ocorrência registrada na noite desse domingo (7) causou transtornos na equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) da cidade de Diamante (PB). Segundo os profissionais, um paciente do sexo masculino de 19 anos, apresentando sintomas da Covid-19, foi socorrido para o Hospital Distrital Dr. José Gomes da Silva, em Itaporanga (PB), e, ao chegar ao local, teria sido rejeitado pela equipe de triagem, bem como pelo médico plantonista, tendo que retornar para casa, após cerca de duas horas.

“Retornamos para Diamante com a equipe, já o paciente assinou Termo de Responsabilidade e também foi para casa em carro particular, já que pouco poderia ser feito naquele momento”, revelou um membro da equipe diamantense.

Ainda de acordo com o SAMU, o jovem contou que já estava com febre alta há dois dias, problemas respiratórios, além de outros sintomas da doença.

Procurada pela redação do portal Diamante Online (DOL), a direção do hospital, na pessoa de Rogéria Diniz, falou que irá investigar o caso e que se pronunciará ainda nesta segunda-feira (8), já que o fato teria ocorrido já no fim da noite, quando o serviço administrativo já não estava em horário de trabalho.

Em contato com o DOL, o médico plantonista explicou que estava noutra ocorrência no momento, e que ao tomar conhecimento do caso, imediatamente teria regulado a vaga para o paciente junto ao Hospital Regional Wenceslau Lopes de Piancó (PB), que orientou primeiro, a solicitação na Central Estadual de Regulação Hospitalar (CERH), e minutos depois, recebeu a orientação de encaminhamento do paciente para um leito de enfermaria em Hospital de Referência da doença, neste caso, em Piancó.

“Quando fomos orientar a equipe do SAMU eles já não estavam mais no Hospital, e fomos informados que eles haviam retornado para Diamante após o paciente assinar um Termo de Responsabilidade. Tudo foi devidamente registrado e estamos de consciência limpa”, disse o médico.

Durante todo o transtorno, o paciente ficou deitado na maca, fora da Viatura, na porta do hospital conforme demonstram as imagens.

A responsável pelo SAMU de Diamante revelou que ainda teve contato com o médico e uma enfermeira da triagem, e que ao chegar no hospital vestidos de roupas e paramentos de isolamento, toda equipe da recepção teria se escondido para não manter contato com eles. “É vergonhoso esse tipo de profissional ter esta atitude”, lamenta.

Conforme ainda o SAMU, o paciente deveria ter sido levado para uma ala de isolamento existente no hospital enquanto aguardaria uma orientação, o que não ocorreu.

O HDI não é referência para atender pacientes com sintomas da doença da região.

Fonte Diamante Online

Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Diamante Online, não reflete a opinião deste Portal.