Médium paraibano é acusado de golpes que somam mais de R$ 1 milhão

Hamilton tem mais de 150 mil seguidores nas redes sociais e roda o país dando consulta espiritual.

O paraibano Hamilton Freire de Moura Filho, que se apresenta como médium Hamilton Júnior, de 25 anos, é acusado por duas mulheres de ter aplicado golpes que, segundo as supostas vítimas, somam mais de R$ 1 milhão.

Hamilton tem mais de 150 mil seguidores nas redes sociais e roda o país dando consulta espiritual. Recentemente ele abriu um centro em São Paulo, de acordo com informações do jornal Folha de São Paulo. Antes, o médium também morou em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais. Os casos de estelionato teriam acontecido nos dois estados.

O advogado que representa Hamilton, que no início de outubro inaugurou um novo centro espírita em Itapevi (na Grande São Paulo), afirma que seu cliente é inocente.

Uma das mulheres que acusam o médium é a publicitária Gabriela Moreira Colen, 27, moradora de BH e ex-noiva de Hamilton. Ela afirma que ele abriu contas e pediu empréstimos em bancos em seu nome que somam mais de R$ 600 mil. O caso é investigado pela Polícia Civil de Minas Gerais.

Na Paraíba, Hamilton já chegou a ser condenado em agosto deste ano a dois anos e onze meses de prisão por estelionato. A decisão, porém, acabou sendo anulada logo depois porque o crime foi considerado prescrito pelo juiz. Segundo a de núncia feita por uma comerciante, ele teria usando os cartões para comprar telefones celulares, que seriam revendidos pela internet. As faturas, porém, mostravam também viagens e hospedagens em hotéis de luxo. O prejuízo seria de mais de R$ 500 mi.

O advogado Matheus José Araújo de Lima, que defende o médium, afirmou que a condenação na Paraíba partiu de denúncias caluniosas e que, com a extinção do processo, o médium é inocente.

Folha de São Paulo

Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Diamante Online, não reflete a opinião deste Portal.