Menu
Geral

Paraibano de 14 anos viraliza no TikTok resolvendo questões de exatas do ITA, vestibular mais difícil do país

"Reencarnação de Pitágoras", brincam os fãs

Da Redação do Diamante Online

22/02/2024 às 09:53 | Atualizado em 17/03/2024 às 11:21

Gustavo, de 14 anos, usa uma lousa branca na dispensa de casa para ajudar pessoas com dificuldade em matemática — Foto: Arquivo pessoal

Qual é a fórmula do sucesso para um adolescente viralizar no TikTok? Dancinhas dos hits do momento? Esquetes de humor? Para Gustavo Viana, de 14 anos, é algo como V = λ. f ou E = d.V.g.

Em um quartinho improvisado em Araçagi, município com 17 mil habitantes no interior da Paraíba, o menino grava vídeos com resoluções de problemas de exatas. Monta a lousa branca, prepara a câmera do celular e pronto, mostra como responder a uma pergunta do vestibular mais difícil do país, o do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

"Você entraria em desespero vendo essa questão? Mas é facinho, "vapo"! Vou te mostrar, fica até o final", diz Gustavo, no início de um vídeo que já passou de 3,5 milhões de visualizações.

E é assim, com gírias entre uma expressão algébrica e outra, que as "Dicas do Guga" viralizaram nas redes sociais no início de fevereiro. Os seguidores ficam impressionados com a habilidade que o jovem tem de simplificar amontoados de números e incógnitas.

"O que me trouxe notoriedade foi a minha didática. Eu escolho a questão, vou interagindo com o telespectador e ensinando as pessoas com dificuldade em matemática", conta Gustavo.
Nos comentários dos posts, não faltam fãs: os que agradecem aos céus pela existência de Gustavo ("você é um divo, obrigada!!"), os que choram por não terem conhecido o menino antes ("se esse garoto tivesse sido meu professor, eu estaria na Nasa hoje!") e os que ficam chocados de ver um adolescente de 14 anos resolvendo logaritmos ("esse menino nasceu ensinando log para o médico"; "reencarnação de Pitágoras").

A inspiração de Guga é sua mãe, que faleceu em 2022 — ela também postava vídeos com dicas de estudo, só que na área de língua portuguesa. "Foi quem me estimulou. Aprendi a ver a educação como uma arma poderosa para o meu futuro", conta o menino, que atualmente mora com a avó.

Mas como um adolescente de 14 anos sabe conteúdos avançados de exatas?

Aluno do 1º ano do ensino médio da rede privada, Gustavo conta que sempre teve facilidade na escola:

Tirou nota 10 de média em todas as disciplinas no último boletim;

Foi medalhista da Olimpíada Brasileira de Astronomia em 2023;

E é monitor de estudos dos colegas da turma em matemática, ciências,

História, inglês e geografia.

Aos poucos, ele foi se interessando por conteúdos mais avançados de exatas, ensinados apenas na universidade.

"Passei a estudar por fora, porque quero seguir o caminho da engenharia, e as matérias que ensinam na escola não caem nos concursos em que quero passar. No colégio, é como se fosse sempre o básico do básico", diz.

Ele, então, vê videoaulas e resoluções de questões mais difíceis na internet, para entender o conteúdo e conseguir explicá-lo aos seguidores de maneira simplificada.

"Meu hobby é estudar. Quando estou focado, estudo sem pausas das 6h às 11h e fico pensando em como vou abordar os temas no meu canal", diz.

"Olho para a prova do ITA e penso: não é impossível para mim. É complexo, não vou mentir, mas, se eu tiver bons professores e bons materiais, vai dar certo de estudar engenharia lá."

Enquanto o vestibular não chega, Guga brinca de construir miniaturas de parques. A partir de materiais recicláveis, como palito de picolé e fios descartados, ele monta projetos e faz maquetes funcionais. E não pense que são simples, viu? Elas têm até barco viking motorizado.

"É um trabalho árduo, porque produzo toda a estrutura. Algumas [miniaturas] levam um mês para ficarem prontas", diz. "Vou me aprimorar, porque quero seguir nessa área de projeção e de mecânica. Estudando no ITA, vejo a chance de produzir foguetes no futuro."

g1

Anúncio full