João Azevedo é investigado pela PGR por supostas compras irregulares na pandemia

Além do paraibano, outros sete gestores são investigados.

O governador João Azevêdo (Cidadania) está entre os alvos de investigações da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra gestores estaduais. Ao todo, oito governadores estão tendo contratos firmados durante a pandemia do novo Coronavírus varridos pelo órgão. De acordo com informações da jornalista Mônica Bergamo, da Folha de São Paulo, o foco da apuração são suspeitas de irregularidades em contratos. Vale ressaltar, no entanto, que não há denúncia formal contra o gestor paraibano ainda.

A lista dos governadores inclui desde o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC-RJ), que foi alvo de operação da Polícia Federal, nesta semana, a gestores como o governador de São Paulo, João Dória (PSB). Estes dois são apontados como virtuais candidatos à Presidência da República, em 2022, contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Integram o rol de investigados, ainda, o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB) e outros três gestores não tiveram os nomes revelados.

De acordo com pessoas familiarizadas com as investigações, a PGR já fez avaliação preliminar sobre cada acusação contra as gestões estaduais e está encaminhando ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) pedido de autorização para a abertura de inquérito. Alguns requerimentos já estão no tribunal. Isso por que os governadores têm prerrogativa de foro. As investigações mais avançadas seriam as sobre as gestões do Rio de Janeiro e do Pará.

Na terça (26), o STJ autorizou operação de busca e apreensão na residência oficial do governador Witzel e da primeira-dama do Rio, Helena Witzel. Um dia antes da operação no Rio, a deputada federal Carla Zambelli (PSL-RJ), aliada do presidente Jair Bolsonaro, afirmou em uma entrevista que várias operações contra governadores estavam para ser deflagradas, no que seria um escândalo nacional que poderá ser apelidado de “Covidão”.

Fonte Assessoria

Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Diamante Online, não reflete a opinião deste Portal.