Hospital e Samu divulgam Notas de Esclarecimentos sobre paciente de Diamante. Leia!

Samu de Diamante acusa hospital de rejeitar paciente com suspeita de Covid-19.

Em nota, a Diretora do Hospital Distrital de Itaporanga (PB), Rogéria Diniz, esclarece os fatos sobre o paciente da cidade de Diamante que procurou atendimento na noite deste domingo (07).

A Coordenadora do Samu de Diamante também emitiu os seus esclarecimentos. Leia na integra os dois textos:

Nota do HDI

Em resposta ao fato ocorrido em 07-O6-2020 às 21h16min, deu entrada no serviço trazido pelo SAMU (USB-16) da cidade Diamante, o paciente J.L.G, 19 anos, sexo masculino, apresentando sintomas respiratórios e febre há 2 (dois) dias.

Esclareço que o Hospital Distrital de Itaporanga Dr. José Gomes da Silva – HDI, NÃO é referência para COVID-19, temos leitos de isolamento disponíveis para demandas espontâneas e não referenciados. Informo ainda que, não foi regulado vaga para o paciente acima citado pela Central de Regulação do SAMU, mesmo assim, o médico plantonista do HDI acionou o NIR (Núcleo Interno de Regulação) do serviço para solicitação de vaga deste paciente. Às 23h15min a vaga foi liberada pela CENTRAL ESTADUAL DE REGULAÇÃO HOSPITALAR – COVID-19, para o Hospital Regional de Piancó, porém o SAMU (USB-16) já teria retornado com o paciente para o município de origem às 22h59min, conforme visto pelas câmeras de monitoramento, não aguardando resposta da Central de Regulação.

OBS: Mesmo o paciente sendo suspeito de COVID-19, os profissionais do SAMU, não podem estar circulando dentro de todos os setores de hospitais, como ocorreu no caso em questão.

Nota do SAMU

As 20:00h do dia 07/06/2020 a equipe da USB-16 Diamante foi chamada para uma ocorrência de natureza suspeita de Covid-19, o paciente já se encontrava de frente a base do SAMU. Após verificação dos sinais vitais, foi constatado pela equipe que o paciente estava com uma febre alta (41,4°C), dispneia (falta de ar). Foi regulado, medicado e encaminhado para HDI, hospital de referência para todos os casos da USB 16. Chegamos no hospital, ao descermos da VIR, fomos informados que o paciente não podia adentrar o recinto, apenas a enfermeira da USB 16 iria passar o caso para o médico. O médico pedia para verificar novamente todos os sinais vitais, o que foi feito pela equipe do SAMU, o mesmo ainda se encontrava com dificuldades respiratória e a febre já vinha baixando mais (39,3°C). O médico disse que iria regular a vaga para o hospital de referência, mais o paciente continuava lá fora. Depois de 1h de espera, a enfermeira procurou o médico do hospital para relatar que o paciente já se encontrava estável, a dispneia e a febre tinham passado (pois foi medicado pela equipe do SAMU, prescrito pelo médico regulador), mas o mesmo disse que iria encaminhar. Nessa ocasião a enfermeira relatou ao médico sua indignação com o despreparo da equipe do HDI, além do preconceito com o paciente e a equipe do SAMU. A enfermeira do SAMU procurou a enfermeira do hospital que faz a regulação várias vezes, mas não obteve resposta. Após quase duas horas de espera, a família que também tentou falar com o médico e não obteve resposta, resolveu levar o paciente pra casa, assinado o termo de responsabilidade. Temos os horários confirmados pela equipe central de regulação, o horário de chegado e saída do hospital além das imagens tiradas por populares no local.

Ana Fábia Campos dos Santos – Coordenadora

Diamante-PB, 08/06/2020

Leia também:

Samu de Diamante acusa hospital de rejeitar paciente com suspeita de Covid-19; médico rebate

Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Diamante Online, não reflete a opinião deste Portal.