Em Diamante, vereador diz ser vítima de perseguição política de pré-candidato ligado ao Governo

A esposa do parlamentar foi exonerada do cargo que exercia em uma escola da zona rural, e ele atribuiu o ato ao pré-candidato.

O vereador Francisco Luís, popularmente conhecido como Pipí, disse, neste sábado (16), que foi  vítima de perseguição política por parte do pré-candidato a prefeito no município de Diamante Hermes Mangueira Filho, do partido Podemos.

Segundo Pipí, que é uma das lideranças políticas na Vila Vazante, sua esposa Irescarla dos Santos Silva foi exonerada do cargo que exercia na Escola Dr. Ernesto de Sousa Diniz, situada naquela comunidade. A exoneração veio na publicação do Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (15).

O parlamentar diamantense, que é do PSB, revelou que recentemente ouviu falar que os cargos da escola seriam, a partir de agora, indicados por Hermes  e disse que a exoneração da sua esposa concretizou o comentário. “Acredito que estou sendo vítima de perseguição política e atribuo essa exoneração ao pré-candidato. Ele esquece que eu militei no projeto do PSB em 2018, assim como ele”, comentou.

Em Diamante, os cargos de indicação política permaneceram sem alteração desde a entrada do governador João Azevedo, porém, corre em boca miúda que haverá mais mudanças nos próximos dias, sendo indicações da ex-prefeita Marcília Mangueira, Hermes Filho e do deputado estadual Taciano Diniz.

Fonte Diamante Online

Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Diamante Online, não reflete a opinião deste Portal.