Ex-prefeito de Campina Grande retira pré-candidatura ao Governo da Paraíba

O anúncio da retirada da pré-candidatura foi feito na noite dessa terça-feira (26).

O ex-prefeito de Campina Grande e presidente do PSD na Paraíba, Romero Rodrigues, não será mais candidato ao Governo do Estado nas eleições de 2022. O anúncio da retirada da pré-candidatura foi feito na noite dessa terça-feira (26) durante uma reunião em Brasília de Romero com lideranças do PSDB, principal partido que dava apoio à postulação de Rodrigues.

Estiveram presentes no encontro o ex-senador Cássio Cunha Lima e os deputados Pedro Cunha Lima, Camila Toscano, Tovar Correia Lima e Ruy Carneiro.

Na reunião, Romero reiterou que não conversou com o governador João Azevêdo (Cidadania), mas deixou claro que essa é uma possibilidade.

Um novo encontro deve acontecer nesta quarta-feira (27) para tratar sobre o futuro do grupo no estado. O que a maioria dos tucanos acredita é que não há condições de compor o PSDB com o Palácio da Redenção. Por isso, seguirá na oposição, ao menos no entendimento do hoje.

Aliança com João Azevêdo

A desistência de Romero Rodrigues de entrar na disputa pelo comando do Palácio da Redenção no pleito vindouro acontece no momento em que é cada vez mais forte e viável a tese de união do campinense com o governador João Azevêdo (Cidadania), pré-candidato à reeleição.

Apoio do PSDB a Romero

A divulgação de conversas entre o ex-senador Cássio Cunha Lima (PSDB) com o senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB) ascendeu um sinal de alerta na base de Romero, ainda no mês de julho.

Na mesma semana que o diálogo veio a público, o PSDB convocou uma coletiva para anunciar que estaria retirando a pré-candidatura do deputado Pedro Cunha Lima ao Governo do Estado para manter exclusivamente apoio a Romero Rodrigues.

Aliança com João de volta à mesa

O mesmo deputado que em janeiro tinha levantado a possibilidade de uma grande união e um pacto pela Paraíba, voltou a fazer a defesa pela tese apresentada seis meses antes.

Em agosto, Manoel Ludgério colocou na praça novamente a união João-Romero.

Diante do ruído entre o senador Veneziano Vital com o governador João Azevêdo e aproximação administrativa entre o prefeito Bruno Cunha Lima (PSD) e o Palácio da Redenção, deputado não titubeou: há espaço sim para diálogo eleitoral e aliança.

“João Azevêdo é um homem de diálogo, Romero eu conheço profundamente. Defendo e aposto no bom senso para que nós possamos criar uma grande força política de unidade, de união pela Paraíba. Um grande entendimento político para o Estado entre as duas principais forças políticas, João e Romero. Teríamos um momento de exemplo para o Brasil. Não existem inimizades entre essa pessoas para que não haja uma união”, destacou em entrevista entrevista ao Programa Hora H.

Um novo cenário

A desistência de Romero Rodrigues abre naturalmente espaço para o diálogo do político campinense com a Granja Santana.

Em recentes entrevistas, o governador João Azevêdo (Cidadania) garantiu que nunca sentou para dialogar com Romero. Ele, porém, disse que não vetaria nenhuma conversa com o ex-prefeito.

O PSDB já deixou claro que não embarca, ao menos hoje, nessa coligação. Já os aliados mais próximos de Romero, como a vereadora Eva Gouveia e outras lideranças, são da tese de que Rodrigues ganhará com a composição.

MaisPB

Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Diamante Online, não reflete a opinião deste Portal.