Em Itaporanga, vizinha do fisioterapeuta infectado por Covid-19 desabafa sobre o caso

Sou moradora do município de Itaporanga, venho aqui relatar o descaso e despreparo da Secretaria...

A redação do DiamanteOnline (DOL) recebeu na manhã desta terça-feira (05) o contato de uma mulher itaporanguense que se identificou como “vizinha" do fisioterapeuta Jerry Kácio, de 27 anos, diagnosticado com Covid-19 na cidade de Itaporanga (PB).

Ao portal, a internauta reportou o seu desabafo em desfavor da Secretaria Municipal de Saúde.

Leia o texto na íntegra:

Sou moradora do município de Itaporanga, venho aqui relatar o descaso e despreparo da Secretaria de Saúde do Município em relação ao combate à Covid-19.

Na noite de sábado (02/04), fomos surpreendidos com uma ambulância do SAMU na porta do nosso prédio, no qual desceu um dos moradores e adentrou nela, em seguida fomos informados que o rapaz tinha testado positivo pra Covid-19, sendo esse o primeiro caso da cidade, ficamos em pânico, pois não sabíamos de nada do que estava acontecendo, além do mais, temos uma criança no prédio.

Pois bem, pouco mais tarde o rapaz postou um vídeo informando que tinha testado positivo e que tinha trabalhado normalmente até a terça feira (28/04), na contramão do que informou alguns dos veículos de comunicação da cidade vinculados a secretaria de Saúde, onde afirmaram que: "O rapaz encontrava-se em total isolamento em sua residência, há mais de uma semana" o que é uma grande inverdade.

Relato a seguir o despreparo da Secretaria de Saúde deste município. Após a remoção do rapaz para Patos, a vigilância fez a desinfecção do prédio e comunicaram que uma equipe iria no dia posterior, colher os dados e prestar toda assistência aos demais moradores do condomínio, o que não aconteceu, "pois era Domingo", só ontem, segunda feira (04/05), apareceu uma equipe da vigilância, todos encapuzados, começaram a gritar no portão chamando os moradores a descerem, expondo todos nós, sem prestar nenhuma informação, pediram apenas o número do telefone de um representante de cada apartamento, enquanto  uma outra pessoa tirava fotos mesmo sem nosso consentimento, achei tudo isso um circo, onde no qual éramos os palhaços, fomos tratados como se doentes tivéssemos; Eles como  linha de frente fizeram mais apavorar,  onde o correto seria visitar cada apartamento, fazer um levantamento completo, verificar a temperatura de cada um, identificar quem é do grupo de risco, investigar se alguém teve algum contato com o rapaz e etc.

Como se não bastasse tudo isso, uma das moradoras ao perguntar como ficaria a situação dela, já que a mesma trabalha em uma empresa, a funcionária pediu pra que ela mesma ligasse e pedisse para todos ficarem em quarentena. De onde se viu um funcionário ter tal poder pra mandar uma empresa parar, isso é o trabalho deles, o nosso agora é se proteger  e orar a Deus por dias melhores.

Leia também:

Fisioterapeuta com Covid-19 fala sobre a doença

Itaporanga e Piancó registram 1º caso de Covid-19 neste sábado

Visto o relato acima, o DOL deixa a disposição da SMS o espaço para seus esclarecimentos.

Fonte Diamante Online

Comentários

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Diamante Online, não reflete a opinião deste Portal.